Esperança e outros finais felizes

Esperança e outros finais felizes

A dor que nasce na alma, se instala no corpo e faz acelerar o coração numa selecção aleatória de ansiedades várias, leva-me a agarrar um livro que me habituei a ter por perto nos últimos tempos. A Bíblia sai do seu repouso na minha mesa de cabeceira e esmaga-se entre as minhas mãos que a apertam com a força de um grito surdo de pesar. Aparentemente em silêncio, ela escorrega entre os dedos, solta-se do aperto e cai nos chão aberta. Pego-lhe e leio a primeira frase que me salta aos olhos: “O teu passado terá pouca importância comparado com o futuro maravilhoso que te espera.” (Job 8:7)

As águas acalmam, o coração aquieta-se e o grito que quer sair perde a urgência. Sento-me no sofá, fecho os olhos, respiro e reconheço que tenho tempo para respirar, tenho em cada inspiração a promessa de um recomeço porque o ar que saiu ainda há pouco já se foi, viajou para outras paragens e a cada ciclo respiratório há uma oportunidade de renovação. Não me vou sentir maravilhosa já de seguida, não há curas à laia de fast-food. Mas há vida para além da escuridão por muito densa que ela possa parecer. E há futuro, há luz em cada manhã, há novo ar a entrar em cada inspiração. E para que isso aconteça por vezes o único caminho é mesmo baixar os braços, assumir as derrotas, soltar as tristezas, revoltar-me com o passado sem nunca perder a esperança de que a inspiração Daquele que sabe mais do que todos nós chegue como uma mão gentil que me afaga a cabeça, reconhece o meu sofrimento e lembra-me do infinito poder da esperança.

Simples, não?

rio tejo

7 Responses to Esperança e outros finais felizes

  1. Maria Elisabete de Pinho Frias Figueiredo says:

    Querida Sofia,

    O teu texto não poderia chegar em melhor momento!

    Deste-me esperança!

    Obrigada e Beijinhos

    Elisabete

    • silvia says:

      Obrigada Elisabete. Estamos juntas, mesmo quando não nos vemos todos os dias.

      Um beijinho,
      Silvia

  2. Sofia Romão says:

    às vezes a solução para as nossas ansiedades é mesmo assim simples. Confiamos e o nosso coração aquieta-se.
    Obrigada
    S

  3. Antonia Pedrao says:

    Às vezes basta uma frase, a passagem de um livro,para fazer acordar em nós, o que em nós existe, embora nem sempre consigamos Ver,sem essa ajuda fora de nós…

    Que tentemos cada vez mais perguntar, quando o que nos acontece não é o que queremos, “Para quê?” e não “Porquê”

    Obrigada pela partilha em um abraço com saudades.

    Até breve!

    • silvia says:

      Saudades Antónia!

      E obrigada pela sua reflexão. Às vezes é mesmo olhar para o mais simples :)

      Um beijinho

  4. Elis says:

    Acompanho o Chegar há muito tempo e com imensa alegria vou descortinando e integrando cada palavra. Como acredito no poder curador das palavras. Este texto foi especial, bastante simples, profundo generoso com palavras que nos tocam a alma. Grata de coração Sílvia. Beijos gratos.

    • silvia says:

      Obrigada Elis pela partilha do coração.
      Fico feliz de saber que o que escrevo faz sentido para si.
      Um beijinho
      Silvia

Leave a reply